Projeto de extensão vai oferecer órteses, próteses e meios de locomoção de forma gratuita

Em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, o curso de Fisioterapia do Cesuca deu início ao projeto de extensão Banco de Órteses e Dispositivos Auxiliares: buscando a acessibilidade, que […]

05/04/2021

Em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, o curso de Fisioterapia do Cesuca deu início ao projeto de extensão Banco de Órteses e Dispositivos Auxiliares: buscando a acessibilidade, que tem como objetivo a doação de aparelhos para facilitar a mobilidade de pessoas com deficiência ou limitações físicas.

Os interessados em doar equipamentos devem procurar o Cesuca e preencher o Termo de Doação. São aceitas órteses, muletas, cadeiras de rodas e cadeiras especiais para pacientes neurológicos, além de andadores.

Para quem deseja receber algum equipamento, também é necessário comparecer à Instituição, realizar uma avaliação fisioterapêutica e assinar o Termo de Recebimento. Caso não seja possível, é necessário aguardar pela disponibilidade por meio de uma lista.

Em caso de dúvidas, as pessoas interessadas em doar ou receber algum dispositivo podem entrar em contato pelo e-mail sandra.heberle@cesuca.edu.br ou pelos telefones 51 98580-7695 (Gabriela) e 51 98575-8252 (Júlia). O projeto ocorre até 31 de dezembro.


Mais informações

As órteses são dispositivos que tem a função de apoiar, auxiliar e proteger o sistema locomotor, e podem ser utilizadas para imobilização, mobilização, correção, alívio e estabilização de partes do corpo. Já os dispositivos auxiliares contribuem para a sustentação do peso, para o equilíbrio ou ambos, e incluem andadores, muletas e bengalas.

Atualmente, o Brasil tem cerca de 20 milhões de pessoas que necessitam de órteses e dispositivos auxiliares. O Sistema Único de Saúde – SUS não consegue atender a todos que estão na fila de espera por equipamentos. Apenas 0,3% da demanda é atendida.

Em pesquisa realizada recentemente pelo Cesuca na região de Cachoeirinha, 85,3% dos entrevistados não conhecem órgãos públicos ou privados que realizem doações de órteses e dispositivos auxiliares. Em contrapartida, 69,1% conhecem pessoas que fazem o uso destes dispositivos. 92,6% apontaram que fariam doações se tivessem dispositivos em desuso em casa, além de 94,1% afirmarem a importância do projeto do Cesuca na acessibilidade das pessoas.

Os aparelhos que, na maioria das vezes são utilizados apenas por determinado período e depois não possuem mais finalidade, podem passar a ter utilidade para outras pessoas. “É uma forma de também ajudar o meio ambiente, evitando o desperdício de um material tão durável”, destaca a professora Sandra Heberle, coordenadora do curso de Fisioterapia.